lunes, 30 de mayo de 2011

Antes com piolho que sem cafuné

Eu prometi outro título, mas depois que eu soube a definição real de cafuné, achei que tinha que mudar.

Cafuné, a gente vive pidiendo mais cafuné. E resulta que a palavra nasceu para se referir ao hábito presente em diversos animais de catar parasitas na cabeça de um membro da comunidade. É um hábito saudável para evitar piolho, mas também serve, claro, para fortalecer os vínculos afetivos e manter a unidade do grupo. Os animais, já sabemos, de bobos não tem nada.


por static_.


Na verdade escolhi fotos pouco simbólicas, pois não mostram o que é estar verdadeiramente descabelada depois de um bom cafuné.




















A dura lição da vida diz que cafuné só sabe dar quem recebeu. E só gosta quem conhece. E quem conhece sofre sem cafuné, porque sabe o bom que é. Nada fácil a vida de uma criança sem cafuné. Sem
carinho, para que nos entendamos. O coração fica mais duro, rígido. A mão do cafuné não funciona direito, e mesmo que de adulto ganhe cafuné, parece que já não tem volta atrás.

Convido a todas as mães que adotem o cafuné urgente, que o mundo está precisando e deseando ter muito mais amor, gente mais bem-amada, menos preocupada com grana e mais preocupada com ter uma vida descente, um futuro mais digno. Indignemos-nos diante da falta de cafuné alheia! (Viva ao 15-M!!)

PS: Não é muito preocupante a minha situação: quando era pequena, tinha piolho todos os anos, em todas as séries da escola. E duravam semanas. Vinagre, remédio e dá-lhe piolho. Esses shampoozinhos dos dias de hoje são o ó do borogodó! Um must!


Monólogo. Só fala um*

Diálogo adiado, postergado
Deixado de lado
Palavras guardadas
amassadas, arrancadas, tiradas num lago.

Esprememos e
Tudo ficou assim,
Lata de sardinha
Cheiro de peixe

Diálogo fresco, já deixou de ser
Nem tudo pode ser dito:
Não dito, pelo dito, e muito por dizer.

Quando o sentimento diminuir
as palavras ocuparão menos espaço?
Se não, palavras antigas podem virar destorcidas.
Desespero. Exaustão.

Que não caia a gota d'água
ou isso aqui vira oceano e quero que seja
Um deserto de lágrimas.

Os desertos de lágrimas estão cheios,
Ou vazios, sem água?

*maio, 2004. Melhor deixar passar uns anos antes de publicar. Se se lê e se entende, é porque tudo valeu a pena.

2 comentarios:

un completo gilipollas dijo...

No he entendido absolutamente nada.
Pero suena bien...
Siempre suyo
Un completo gilipollas

Anónimo dijo...

Sat, adorei esse post!

"Te extraño mucho", querida!

Beijim,

Mariana/Sevê :)

mferrazd@gmail.com